O Major-General Piloto Aviador Rui Manuel Pires de Brito Elvas nasceu em Penamacor em março de 1962, tendo iniciado a sua preparação militar na Academia Militar em 1981 e licenciou-se em Ciências Militares (Pilotagem Aeronáutica) pela Academia da Força Aérea (AFA).

Em 1985, efetuou o tirocínio em Sintra, na Base Aérea nº 1 (BA1), tendo sido brevetado em setembro de 1986. Iniciou de seguida o Curso Complementar de aviões de combate na Esquadra 103, na Base Aérea nº 5 (BA5) e mais tarde na Base Aérea nº 11 (BA11).

Em 1987, após o curso, foi colocado na Base Aérea nº 6 – Esquadra 301, onde obteve a qualificação operacional na aeronave G-91 R3. Em março de 1988, foi colocado na BA4 – Esquadra 303, tendo desempenhado as funções de Oficial de Informações e piloto operacional na aeronave FIAT G-91.

Em 1989, foi colocado na BA5 – Esquadra 302, onde foi qualificado na aeronave A-7P. Após a qualificação operacional na aeronave obteve as qualificações de Comandante de Parelha, Esquadrilha e Comandante de Esquadra em Voo, participando em diversos exercícios nacionais e internacionais no âmbito da OTAN. Desempenhou as funções de Oficial de Informações e posteriormente de Oficial de Operações.

Em 1993, participou no Tactical Leadership Programme da OTAN e frequentou vários cursos de formação na área do emprego de armamento, tendo desempenhado funções de Oficial de Tiro e de Uniformização na Esquadra 302.

No ano letivo 1994/1995 frequentou o Curso Geral de Guerra Aérea no Instituto de Altos Estudos da Força Aérea – Sintra, tendo sido promovido ao posto de Major em julho de 1995.

Em 1995 regressou à BA5 – Esquadra 302, onde desempenhou as funções de Oficial de Operações, Comandante de Esquadra e Comandante do Grupo Operacional. Em 1999, foi nomeado para uma missão de serviço em Bruxelas como Conselheiro Militar na delegação de Portugal junto da União da Europa Ocidental.

Em 2002 foi colocado na Divisão de Planeamento Estratégico Militar no Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA). Em 2007, foi nomeado para nova missão em Bruxelas na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia como Conselheiro Militar. Em 2009 chefiou a Divisão de Recursos do Estado-Maior da Força Aérea e de 2010 a 2012 comandou a BA6, no Montijo.

No ano lectivo de 2012/2013 frequentou o Curso de Promoção a Oficial General, no Instituto de Ensino Superior Militar, tendo depois exercido as funções de 2º Comandante da AFA. Em outubro de 2014 foi nomeado pelo General Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas como Comandante da Força de Reação Imediata (COMFRI), função que cessou com a sua nomeação como Comandante da Zona Aérea dos Açores, em 31 de julho de 2015.

Ao longo da sua carreira acumulou mais de 2.500 horas de voo distribuídas pelas seguintes aeronaves: T-37C; T-33; G-91; A-7P; FTB 337G, F-16 e C295.

Da sua Folha de Serviço constam vários louvores e condecorações, de que se destacam duas Medalha de Prata de Serviços Distintos, uma Medalha de Mérito Militar 2ª Classe, Medalha da Cruz Naval e a Medalha de Ouro de Comportamento Exemplar.