UAV retomam missões de vigilância aérea e deteção de fogos

Na sequência da investigação relativa à aterragem forçada da Aeronave Não Tripulada, ocorrida no dia 5 de setembro, na zona do Torrão (Alcácer do Sal), e de acordo com o relatório de investigação, o incidente foi provocado por uma falha mecânica que causou o desacoplamento do motor à hélice da aeronave.

As recomendações do relatório foram implementadas, tendo a operação dos UAV sido retomadas ontem, dia 10 de setembro, com voos na Lousã e Mirandela.

Neste dia, o UAV a operar a partir da Lousã realizou a monitorização do incêndio em Ourém.

VEJA O VÍDEO