64 anos de Comando Aéreo

Quando em 1952 nascia a Força Aérea, depressa se concluiu pela necessidade de criar um Sistema de Alerta como estrutura de defesa aérea. Depois de diversas reestruturações da Força Aérea, em 1960 surgia o Centro de Operações de Defesa Aérea em pleno Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa. Em 8 de Fevereiro de 1957, o Subsecretário de Estado da Aeronáutica determinou a entrada em funcionamento do Comando da 1.ª Região Aérea a partir de 1 abril daquele ano.

Com o país ainda dividido por regiões aéreas, das quais faziam parte os territórios ultramarinos, no mesmo local era inaugurado em 1 de abril de 1970 o edifício que albergaria o Comando da 1.ª Região Aérea. Seria os primórdios da criação do atual denominado Comando Aéreo, outrora reconhecido como Comando Operacional da Força Aérea.

Desde então, e na senda da evolução tecnológica, foram sendo introduzidas inovações, datando a mais significativa de 1978 quando surgiu o Sistema Integrado de Comando e Controlo Aéreo de Portugal, que viria a ser fulcral para a implementação, de raiz, e pela primeira vez no espaço europeu, do conceito e arquitetura Air Command and Control System.

Aquele sistema consiste na utilização de centros de operações com capacidade para desenvolver funções de planeamento, seguimento e controlo tático dos meios defensivos, ofensivos e de apoio, respondendo às necessidades do Comandante Aéreo, quer em tempo de paz, quer em tempos de tensão ou guerra.

A celebrar 64 anos de existência, o Comando Aéreo mantém-se instalado no Parque Florestal do Monsanto, em Lisboa, partilhando o espaço com a Messe da Força Aérea, o Centro de Manutenção Eletrónica e o Joint Analisys Lessons Learned Centre.

Hoje, a essência da missão mantém-se: planear, dirigir e controlar a prontidão dos sistemas de armas, a atividade aérea e a defesa aérea do espaço aéreo nacional, competindo-lhe ainda controlar a segurança militar das Unidades e Órgãos da Força Aérea.

Para cumprir com sucesso as missões atribuídas à Força Aérea, existe todo um trabalho de fundo desenvolvido pelos militares que prestam serviço no Comando Aéreo relacionadas sobretudo com a recolha, o tratamento e a difusão de informações de âmbito operacional para todas as Unidades da Força Aérea.

Tais informações englobam por exemplo a guerra eletrónica; informações de combate; gestão do espaço aéreo e meteorologia.

Mas é também no Comando Aéreo que é assegurado o funcionamento permanente dos centros de coordenação de busca e salvamento aéreo, onde se desenrolam as ações de assistência e socorro relativas a acidentes ocorridos com aeronaves.

Da mesma forma, é asssegurada a coordenação permanente com o Instituto Nacional de Emergência Médica para posterior emprego dos meios aéreos necessários aos transportes aeromédicos.

Fulcral para o cumprimento da missão da Força Aérea e para a garantia de defesa do espaço aéreo nacional, os 64 anos de história do Comando Aéreo falam por si e dão corpo ao lema que o caracteriza, com “FIRMEZA E ARDOR”.