Força Aérea testa sensores radiológicos em UAVs pela primeira vez

Pela primeira vez, o Centro de Investigação da Academia da Força Aérea (CIAFA) integrou e testou sensores radiológicos em UAS. Os ensaios, realizados no Campo de Tiro, no passado dia 19 de maio, visaram testar a tecnologia, com fontes radioativas reais, de modo a caracterizar a capacidade da utilização desta tecnologia para ações de segurança e defesa Nuclear e Radiológica.

O trabalho de investigação, pioneiro na área, é liderado pelo CIAFA e pelo Instituto Superior Técnico, no âmbito dos trabalhos de Doutoramento em curso do Major, Técnico de Manutenção de Armamento e Equipamento, Luís Marques.

Em particular, a aposta está na deteção remota de fontes radioativas, viz. radiação gama, beta e neutrões, utilizando detetores plásticos de alta eficiência acoplados a UAVs, para inspeção de contentores e cargas suspeitas.

O trabalho conta com a participação e colaboração abrangente da Força Aérea (Comando Aéreo - Campo de Tiro e Centro de Treino e Sobrevivência da Força Aérea, Comando da Logística – Direção de Infraestruturas), o que demonstra a vontade e dedicação da Força Aérea no avanço tecnológico multidisciplinar, com impacto na missão que lhe é acometida.

O CIAFA foi parte ativa nestes ensaios, através do apoio na construção de suportes para os detetores, moderador do detetor de neutrões, integração dos detetores no UAV, preparação da documentação com vista à emissão, pela Autoridade Aeronáutica Nacional, da Licença Especial de Aeronavegabilidade, e operação integral do UAV e aquisição de dados.